domingo, 12 de abril de 2009

Diário de Viagem - 2º Dia

Acordei cedo, a terra estava molhada - chovou de madrugada. Eu e o Leo fomos a padaria. O chão estava cheio de barro e os donos criavam cachorros no local! Fingi que não vi a cena do dono-padeiro-proprietário carregando o cachorro. Pedimos salame, mas eles não tinham fatiador. Percebemos isso quando a filha do dono-padeiro-proprietário sumiu com o salame dentro do quartinho e demorou para trazer a "peça-pedaço" (100g por R$1,00).
Depois do café, andamos pela estrada a caminho da Cenibra para meu celular dar um sinal de vida, porém sem sucesso! Começou a chover. A chuva inundou a idéia de ir até a cachoeira e de dar vida ao meu celular, mas deu oportunidade de pensarmos em furtos de abacate e banana na beira da estrada!
Chegamos em casa novamente e fui deitar e escutar meu MP4 - a merda descarregou rapidamente! continuei deitado e acabei cochilando.
Acordei com o cheiro do churrasco e levantei morrendo de fome. Ao aparecer na porta a mãe da Aliny fala que eu só sei dormir. "Velha safada!" - pensei.
Abstrai o comentario e fui preparar meu prato. Quando estava comendo me deparei com uma cena: os meninos com uma cabra usando uma especie de coleira no pescoço. Achei um absurdo! Coitada, a cabra sendo usada como cachorro foi um ato deprimente...
Após o almoço fui deitar novamente. Era minha única opção, uma vez que não queria deixar herdeiros naquela terra =D
Quando acordei, fui ao Bar - e Lanchonete - da Sofia, mas não servi e não atendi ninguém. Não ficamos por muito tempo e fomos andar no centro da cidade. Já angustiante, voltamos para casa para tomar banho e ir para Ipatinga ter contato com a civilização.
Dito e feito! Fomos para a casa da vó paterna da Aliny, muito educada por sinal. Aproveitei e fui fazer contatos com o povo.
Já se passava das 22:00 e fomos a uma sorveteria que vende um angú a baiana de frango que é MARA! Muita gente bonita andava por lá...
Na hora de voltar... o pneu estoura bem em frente a Cenibra! O Leo trocou sozinho, porque eu não queria me sujar sendo que já tinha tomado banho.
Com pneu novo, voltamos ao Bar - e Lanchonete - que já estava com as portas semi-fechadas. Terminamos de fechar e ficamos vendo a seresta chinfrim que estava tendo na praça.
Finalmente fomos dormir aprox. 01:30.
Próximo - e último - capítulo: a despedida.

Um comentário:

::Aspas:: disse...

Adooooro!
Adooooro!
Quero muito mais dessas experiências.

- RONALDO -

Adoro saber sobre o bar - lanchonete.
[parece ser desprezivel]

- RONALDO -

Conte-me mais detalhes, como disse, parece novela mexicana!